Encontre aqui o melhor da região.
Background Image

Vinhos: Marsala – Revista AMAIS

Marsala

Marsala é uma região italiana situada na Sicília, é famosa pela história renascentista, pelos sítios arqueológicos, pelas belas paisagens que emolduram o pôr-do-sol e pela reserva natural de salinas. Mas, acima de tudo, Marsala é famosa pelos seus encantadores vinhos fortificados. Este estilo de vinho é como se fosse o primo italiano dos portugueses Porto e Madeira, e do espanhol Jerez. Trata-se de um vinho fortificado, complexo e sedutor, com aromas de frutas secas e especiarias e cores intensas.

A história conta que o italiano Marsala é, na realidade, uma descoberta inglesa. No século 18, forçado por uma tempestade, um comerciante inglês chamado John Woodhouse desembarcou na cidade de Marsala, provou o vinho local numa taberna, e resolveu levar um lote para comercializar. Para evitar problemas de conservação durante a viagem, ele adicionou aguardente vínica (como se fazia com os vinhos do Porto e Madeira) para que o vinho aguentasse a viagem para a Inglaterra nos barris. Ao desembarcar na Inglaterra, ele o provou e percebeu que a bebida havia se modificado muito, e para melhor. A aguardente vínica havia dado espessura e maior potência ao vinho. E ele o batizou de vinho de Marsala. Tempos depois ele voltou à Sicília, montou sua própria vinícola!

O Marsala é produzido a partir de uvas locais, plantadas a somente 1 km de distância do mar. As cepas utilizadas são as brancas Catarratto, Grillo, Inzolia e Damaschino, ou as tintas Pignattello, Nero d’Avola e Nerello Mascalese. Conforme sua coloração, o Marsala. Classificação:

Ouro – produzido com uvas brancas, possui a cor dourada

Âmbar – produzido com uvas brancas, esta cor peculiar é consequência da adição de mosto cozido (na proporção mínima de 1%)

Rubi – produzido com uvas tintas (as uvas brancas não podem representar mais do que 30% do total), é o Marsala menos conhecido

A quantidade de açúcar residual (proveniente da própria uva) do Marsala varia, podendo alcançar níveis superiores a 100 g por litro:

Seco – menos de 40 g de açúcar residual por litro 

Semisseco – entre 40 e 80 g de açúcar residual por litro 

Doce – mais de 80 g de açúcar residual por litro 

Os Marsalas podem ser doce ou seco, pálido ou escuro, com aromas de caramelo ou de frutas secas, como avelãs e nozes.

O tempo de envelhecimento, as normas da D.O. (denominação de origem) do Marsala também definem algumas classificações. Sendo que quanto menor o tempo de envelhecimento, menor o teor alcoólico, que geralmente fica entre 17 e 20°.

Fine – envelhecimento mínimo de 1 ano (é o mais utilizado na culinária) .

Superiore – envelhecimento mínimo de 2 anos em madeira.

Superiore Riserva – envelhecimento mínimo de 4 anos em madeira.

Vergine e/ou Soleras – envelhecimento mínimo de 5 anos em madeira.

Vergine e/ou Soleras Riserva, ou Stravecchio – envelhecimento mínimo de 10 anos em madeira.

Vergine ou “virgem” em português, é um termo associado às condições estabelecidas pela legislação: são os vinhos produzidos exclusivamente a partir de uvas brancas, e com a adição apenas da aguardente de vinho, sem adição de mosto cozido ou concentrado, nem adição de mistella (também chamada de sifone, é um produto obtido a partir de mosto de uvas tardias e álcool, utilizado para ajustar o percentual de açúcar e conferir aromas terciários).

O termo Soleras, que pode aparecer nas versões Vergine, significa que houve uma mistura de diferentes safras, pelo sistema de envelhecimento de vinhos chamado solera (como o espanhol Jerez).

O Marsala é muito usado na culinária (mais seco em pratos salgados e mais doce na pâtisserie). Um dos pratos mais famosos elaborado com esse vinho é o Frango ao Molho Marsala. Mas também é um importante ingrediente para doces, como o panetone, tiramissu, creme zabaione…

Mas, além do uso culinário, Marsala seco é um excelente aperitivo, para acompanhar queijos azuis e castanhas de todos os tipos. O Marsala doce é um vinho de sobremesa espetacular, para acompanhar chocolates.

Com a chegada do outono e o prenuncio do inverno, este vinho pode entrar na sua lista de desejos para estas deliciosas estações ficarem ainda melhor.

Se for beber, beba o que é bom e com moderação. Salute!

_______________________________________________________________________Por Valéria Pilon
Sommelière e Coordenadora de Eventos
Salut – Sommelière Valéria Pilon
E-Mail

Hannalee Motta

hanna@optimus360.com

Deixe um comentário

avatar

Senha redefinida. Um link será enviado para o seu email