Encontre aqui o melhor da região.
Background Image

Moda: Tricô – História e tendências

tricô

Tricotando…

E de repente eu olhava, ela e seu tricô (Chico Buarque de Holanda)

Você já ouviu falar da história grega de Penélope narrada em Odisseia de Homero? Bom, conta-se que ela era apaixonada por Ulisses, mas sem saber se ele estava vivo ou morto foi obrigada por seu pai a se casar novamente. Para adiar o prazo estabeleceu a condição de que se casaria somente após terminar de tecer uma colcha de tricô mas todas as noites ela desfazia o serviço com o intuito de ganhar prazo.

A mitologia é linda, mas sabe-se que o tricô é originário do Egito, entretanto foi popularmente trabalhado na Inglaterra onde as mulheres desenvolveram uma técnica para produzir meias e cachecóis que protegessem seus maridos e filhos no inverno.

Quem assim como eu, é da década de 80, deve se lembrar da maquininha de crochê cor-de-rosa. Era só comprar um novelo, colocar a linha na agulhinha e ficar rodando a manivela. Esse era um dos meus brinquedos preferidos! Mesmo que na maioria das vezes as “roupinhas” que eu fazia, tinham de ser arrematadas pela minha mãe.

Eu, particularmente, acho bacana usar peças de tricô, gosto daquele ar nostálgico, da época em que a minha avó ainda era viva e fazia cachecóis, xales e blusas. Também é interessante o fato de lembrar algo feito à mão (mesmo sabendo que na maioria dos casos foi trabalhado em máquina), sem contar aquele “quê” de exclusividade.

E mesmo assim, se você ainda pensa que isso é coisa da vovó, esqueça e aposte nesse hit, pois se este inverno fosse um jogo, com certeza o ponto iria pro tricô! Aproveite que a bolsa de valores fashion ainda não subiu e garanta já o seu.

Dicas:

1. O tricô giga (gigante) são megachiques. Pode ser apenas um gorro enorme, pode acompanhar o formato do corpo e até ser drapeado. No caso das roupas, cuidado. Por fazer um volume tremendo, o ideal é que seja usado por quem tem tronco miúdo, seios pequenos e braços finos.Dependendo da peça não é legal usar durante o dia.

2. Uma opção pra quem não tem tempo de voltar pra casa pra trocar de roupa é o cardigã. Ele também é útil para se levar na bolsa nos dias mais ensolarados, pois pode ser usado com vestido estampado ou saia de tecido leve (como seda). Bem no estilinho ladylike!

3. Os Maxi-Cardigãs fazem o estilo mais largadinho, do tipo fui ali e já volto, mas sem perder o estilo.

4. Outra peça coringa são os suéteres que ficam ótimos com jeans ajustados ou saia lápis.

5. Suéter ou vestido?Essa reinvenção dos stylists, denominada sweater dress, tem tudo pra ser a queridinha da estação.

6. Cachecóis ou golinhas também são de arrasar, tanto pra eles quanto pra elas. Se você, por exemplo, for trabalhar de manhã, depois for pra faculdade e se cansar do acessório, uma dica legal é usar o cachecol como cinto, fica bem original! Se for giga vale brincar com a maneira de usar, o visual você que cria. Sobre os ombros, totalmente enrolado no pescoço…

“… Cada passo

Cada lágrima somada

Cada ponto do tricô

Seu silêncio de aranha

Vomitando paciência

Prá tecer o seu destino …”

Mãe Solteira – Tom Zé


Por Camila Bertolini |  Instagram

Hannalee Motta

hanna@optimus360.com

Deixe um comentário

avatar

Senha redefinida. Um link será enviado para o seu email