Encontre aqui o melhor da região.
Background Image

Por onde se esconde a depressão? 

Muito já se falou, se fala e ainda se falará sobre a depressão, um distúrbio mental que a cada dia toma um espaço maior na sociedade e que hoje já não depende mais de idade, sexo, posição financeira, saúde física, entre outros, para se fazer presente. Todos podem ser alvo da depressão.  

Os sintomas mais conhecidos quando se fala de depressão são: 

  • Apatia; 
  • Fraqueza; 
  • Cansaço extremo; 
  • Irritação; 
  • Angústia; 
  • Falta de interesse por atividades de rotina ou que antes davam prazer; 
  • Baixa autoestima; 
  • Insônia; 
  • Dificuldade de concentração; 
  • Pensamento pessimistas ou até mesmo relacionados à morte; 
  • Problemas ou disfunções sexuais. 

Além dos sintomas mencionados que já são muito conhecidos do público em geral, existe um sintoma de depressão que não é muito considerado, porém a cada dia está mais presente: a euforia. 

Existe uma frase que afirma que: “… em todo excesso há uma falta…” e é aí que pode se esconder um sintoma de depressão ou potencial para tal. Pessoas que vivem somente ansiosas, não conseguem parar de pensar nas coisas (muitas vezes são obsessivas com determinados pensamentos), impulsivas demais, que fazem piada de tudo, sempre estão se ocupando com algo, sempre estão “caçando” algo para fazer, para pensar, para se ocupar… por que será? Não seria uma forma de não querer “parar para pensar”? 

 

Por trás de uma grande ansiedade pode se esconder uma grande depressão, ou seja, temos alguém que quer mostrar uma imagem de feliz (pode até ser aquele piadista da turma), ativo, forte, independente, bem resolvido, quando, na verdade temos um alguém que se ocupa para não ter tempo de pensar no vazio que o habita.  

Essa forma de “fuga” se dá principalmente porque a pessoa não sabe lidar com essa ideia de que tem algo mau resolvido e que talvez precise de ajuda para retomar o seu estado de equilíbrio e assim, melhorar sua qualidade de vida assim como a qualidade de vida de quem com ele convive. 

O tratamento recomendado nos casos de depressão (ou possibilidade de) seria com certeza a terapia e onde aplicável, associada a medicação (conforme orientação médica). 

Como forma de prevenção, seja menos exigente com você mesmo, cumpra suas obrigações diárias, mas também faça algo por você, algo que te dê prazer. 

Outra forma de aliviar as tensões do dia a dia, se conhecer ou quem sabe até se reconhecer é a terapia, ou análise com um profissional da área.  

Ao contrário do que muitos pensam, terapia não é “coisa de maluco”, mas sim um investimento para o seu autoconhecimento e para compartilhar os seus sentimentos com alguém que não te julgue, mas que te ajude a organizar esses sentimentos, ideias e comportamentos te tornando alguém mais saudável e por que não mais feliz?  

 

Participe com a gente mandando dúvidas e sugestões de assuntos para as próximas edições! 

Roberta Furuno A. Bonilha / Rodrigo S. A Bonilha 

Formação em psicanálise, fundamentos clínicos e especialização em psicanálise Infantil. 

E-Mail: psicanalisandocomvc@gmail.com   

Facebook : @psicanalisandocomvc  

Hannalee Motta

hanna@optimus360.com

Deixe um comentário

avatar

Senha redefinida. Um link será enviado para o seu email